Célio Marques

 

 

É Professor da Unidade Departamental de Tecnologias de Informação e Comunicação do Instituto Politécnico de Tomar, exercendo também as funções de Coordenador para as Tecnologias de Informação e Comunicação da Escola Superior de Gestão e de Vice-Director do Centro de eLearning do Instituto Politécnico de Tomar.
Possui licenciatura em Informática e Gestão, mestrado em Comunicação Educacional Multimédia, pós-graduação em Técnicas e Contextos de e-Learning e doutoramento em Ciências da Educação, área de Tecnologia Educativa.
Colaborou com o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (Universidade de Lisboa) e com a Universidade Lusíada de Lisboa na lecionação de várias unidades curriculares de mestrado, tendo também sido convidado para lecionar no Instituto Superior de Educação da Universidade de Cabo Verde.
Esteve envolvido em projetos relacionados com a informática na educação e prestou consultoria informática a várias empresas. Em termos internacionais esteve em missões de ensino na Universidade de Yasar (Izmir, Turquia) e na Universidade de Vilnius (Vilnius, Lituânia) e é membro do comité editorial da revista Electronic Learning, Information and Communication: Theory and Practice.
É autor de diversas publicações nacionais e internacionais, entre elas, o livro “Os Hipermédia no Ensino Superior” e tem estado na organização de vários eventos científicos e técnicos, entre eles, o “Bibliotecando em Tomar” (desde 2011), o “Encontro sobre Jogos e Mobile Learning” (Universidade de Coimbra, 2012 e 2014) e o “Encontro sobre Web 2.0” (Universidade do Minho, 2008) do qual resultou o livro “Manual de Ferramentas da Web 2.0 para Professores” editado pelo Ministério da Educação.
É também investigador do Centro de Administração e Políticas Públicas da Universidade de Lisboa e colaborador do Centro de Investigação em Educação da Universidade do Minho.


 

Título da comunicação
"Educação Especial: um olhar sobre o potencial da Web 2.0"

Resumo
Na última década surgiram novas ferramentas e serviços que transformaram o modo como utilizamos a Web. O utilizador deixou de ser um mero consumidor de informação para assumir também o papel de autor. A esta transformação da Web numa plataforma de trabalho foi dado o nome de Web 2.0.
As ferramentas da Web 2.0 proporcionam ambientes de elevada interatividade com enormes potencialidades para a educação, promovendo o trabalho cooperativo e colaborativo, a autonomia dos alunos, a inclusão social, o desenvolvimento de competências e a construção do conhecimento de uma forma mais dinâmica.
De acordo com Mason e Rennie (2008), estas ferramentas aumentam as oportunidades dos alunos interagirem com outros alunos, professores e especialistas; permitem que a aprendizagem ocorra a qualquer hora e em qualquer lugar; e alargam a aprendizagem aos indivíduos com necessidades educativas especiais, aos indivíduos tradicionalmente excluídos e à comunidade em geral.
O seu potencial é muito grande e a sua utilização na educação especial pode contribuir para melhorar as práticas pedagógicas e os resultados de aprendizagem.


 

Registo áudio