Fátima Andrade

 

É bacharel (Escola Superior de Saúde de Alcoitão) e licenciada (Universidade de Aveiro) em Terapia da Fala, mestre em Ativação do Desenvolvimento Psicológico e doutora em Ciências e Tecnologias da Saúde (Universidade de Aveiro). Em termos de publicações, destaca-se o livro “Perturbações da Linguagem na Criança: análise de caracterização” (2ª ed. em 2012) e a coautoria dos “Teste Fonético-Fonológico ALPE - Avaliação da Linguagem Pré-Escolar” (2012) e “Teste de Linguagem ALPE - Avaliação da Linguagem Pré-Escolar” (2014). Tem exercido funções, como docente convidada, na Universidade de Aveiro, designadamente no curso de Terapia da Fala e no Mestrado em Educação Especial. Coordena o Departamento de Motricidade Orofacial, da Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala. É formadora certificada de professores (Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua) nas áreas de educação especial e educação para a saúde. Exerce atividade profissional como terapeuta da fala na cidade de Aveiro, há mais de 20 anos.

 


 
Título da comunicação
AVALIAÇÃO DA FALA DA CRIANÇA: contributo do Teste Fonético-Fonológico ALPE

Resumo
Comunicar e usar as competências de linguagem e fala são dimensões específicas do ser humano. São tão naturais à vida e imbrincadas no nosso ser-em-relação  que, na maioria das vezes, só nos apercebemos da sua complexidade quando notamos dificuldades no seu exercício efetivo. Muitas crianças experienciam estas dificuldades apresentando alterações ligeiras, severas e graves que se repercutem, também, no bem estar emocional.
Estas dificuldades deverão ser avaliadas e referenciadas em idade pré-escolar promovendo uma boa  aprendizagem da leitura e escrita, que se baseia na linguagem oral.
A avaliação formal da fala deverá complementar uma avaliação informal e permitir a comparação do seu desempenho com dados normativos, identificando o percentil em que se encontra. Esta avaliação permitirá uma referenciação rigorosa e atempada das crianças com alterações da fala.


 

Registo áudio