Educação Especial: Formar para melhor intervir

Ficha da Acção

 

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-77924/14

Modalidade: Curso de Formação

 

Duração: 15 horas

Nº de Créditos: 0,6 

 

Destinatários: Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Ensino Especial

Professores dos grupos 910, 920 e 930 

 

Formadores: Anabela de Jesus Ribeiro França

 

Razões justificativas da acção e a sua inserção no plano de actividades da entidade proponente

Na sociedade do conhecimento e da informação onde nos encontramos, todos os alunos independentemente das suas capacidades e limitações, podem desenvolver competências de acesso ao conhecimento e à informação, para o efeito, a escola sendo ela um lugar de aprendizagem por excelência, tem o papel fundamental na concretização desta realidade.

Desta forma, entendeu-se ser importante encontrar uma formação adequada, que seja inovadora em termos de prática pedagógica, mas também, que pudesse aumentar conhecimentos dos participantes. Assim, propõe-se abrir o debate e reflexão à volta de uma Educação Inclusiva que se quer para todos, com todos e de todos. Pois, não devemos deixar ninguém de fora, só porque tem menos capacidades intelectuais, físicas, psicológicas.

Consideramos que as novas tecnologias podem contribuir para minorar as limitações físicas e intelectuais dos alunos considerados com necessidades educativas especiais, constituindo-se como uma mais-valia, no aumento da qualidade de vida, inclusão na sociedade, sendo fundamental na integração profissional, considera-se essencial o domínio, por parte dos professores que apoiam alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE), das TIC para a aplicação pedagógica, bem como ferramenta pessoal para aquisição e divulgação de conhecimento e, como facilitador de actividades de gestão curricular. Os docentes de educação especial e outros técnicos que trabalham com alunos que têm estas problemáticas necessitam de formação, dentro destes domínios, para poderem adequar a realização da sua prática pedagógica, com recursos adequados.

Por outro lado, queremos participar na construção de uma escola de saberes, alicerçada em valores e consolidada com criatividade numa estreita relação com o Património material e imaterial na dimensão histórica e cultural.

Valorizamos ainda o saber do outro, a multiculturalidade pela sua dimensão e direito próprio e também como oportunidade de consciência dos nossos referenciais culturais, estimulando as relações inter-pessoais harmoniosas e a partilha de vivências e experiências. Pretendemos que se prolongue no tempo e que seja uma referência da e para a comunidade educativa, procurando também que possa ser e procurado por outros, fruto da divulgação que pretendemos fazer. 

 

Objectivos a atingir

Pretende-se com a implementação desta Oficina de Formação: - Facultar o enriquecimento teórico sobre as várias áreas de abrangência do tema; - Sensibilizar os professores para a utilização de estratégias e técnicas específicas; - Contribuir para melhorar a eficácia de intervenção dos docentes e outros profissionais, visando a promoção de comportamentos adequados; - Sensibilizar os professores para a diferenciação na intervenção com alunos com NEE; - Fomentar a reflexão e a partilha de estratégias suscetíveis de melhorar a intervenção com alunos com NEE; - Partilhar experiências pedagógicas no contexto das NEE.

 

Conteúdos da acção

1- Apresentação da ação - 1 hora

2- Formação para a atuação em ensino especial - 2 hora

3- Unidades de ensino estruturado- 2 hora

4- Família, sociedade e deficiência- 2 hora

5- Tecnologias e educação especial - 3 hora

6- Transição para a vida ativa e currículos funcionais - 2 hora

7- Avaliação, diagnóstico e intervenção em ensino especial- 2 hora

8- Encerramento e avaliação da ação - 1 hora 

 

Metodologias de realização da acção

1. Comunicações seguidas de debate

2. Apresentação de trabalhos académicos e experiências/boas práticas

3. Conclusão dos trabalhos

4. Apresentação de reflexão crítica individual.

 

Regime de avaliação dos formandos

1. Avaliação contínua presencial.

2. Relatório de reflexão crítica sobre o exposto.

A avaliação será expressa em termos quantitativos ao longo de todo o processo de formação, tendo por base questionários e relatórios. Será utilizada uma escala de 1 a 10 valores, assim distribuídos:

  • participação e presença: 20%;
  • trabalho produzido: 80%.

 Relatório de avaliação do responsável pedagógico.